aajogo é confiável -A greve dos servidores técnicos-administrativos em educação do país completou uma semana nesta segun

Greve da educaçãoaajogo é confiável - completa primeira fase no Brasil

A greve dos servidores técnicos-administrativos em educação do país completou uma semana nesta segunda-feira (18). Com isso,çãaajogo é confiável - funcionários que integram a base da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra) deixam paralisadas mais de 50 universidades federais.

Continua após publicidade

Os servidores fazem um movimento nacional em defesa, principalmente, da reestruturação da carreira. De acordo com os trabalhadores, os salários também precisam passar por reajuste.

"Nós deflagramos a greve em todo o país no dia 11 de março, segunda-feira da semana passada. E nós já estamos aí com 50 universidades federais em greve, uma greve de uma semana, uma greve bem forte. É importante para a gente que essa greve realmente seja forte. A nossa greve tem um foco específico que é a reestruturação da carreira e, interligada a essa reestruturação, está a recomposição salarial. Nós tivemos uma perda de mais de 34% e tivemos uma recomposição linear no ano passado de 9%, então nós ainda estamos aí com uma perda muito grande e, infelizmente, essa negociação não aconteceu do jeito que era previsto", explica Cristina Del Papa, coordenadora-geral da Fasubra.

O reajuste feito no ano passado, citado por Cristina, foi garantido pela PEC da Transição do atual governo Lula, que, além da recomposição salarial, também estabeleceu pequena reposição no auxílio-saúde, creche e no auxílio alimentação. Mesmo assim, os servidores em educação, que constituem uma das 64 carreiras administrativas do Poder Executivo Federal, cobram mais, já que ficaram com salários congelados por mais de 7 anos. Cristina enfatiza que a greve não é contra o governo, mas que o Estado precisa fazer mais.

"Eu acho importante a gente deixar claro aqui que nós não estamos fazendo greve contra o governo, contra o Lula, contra o PT. É importante nós dizermos que nós somos favoráveis ao discurso que o governo tem feito, da valorização da educação, de mais financiamento para a educação. Infelizmente, nos últimos seis anos, nós tivemos cortes nos investimentos e no orçamento de todas as instituições federais de ensino. Não só das universidades, mas também dos institutos federais e dos CEFETs. Nós chegamos a um orçamento que nós tínhamos lá em 2009. Então, tudo aquilo que havia avançado, nós retroagimos nos últimos seis anos, partindo aí do governo de Temer, a partir do golpe na presidenta Dilma; e depois com quatro anos de Bolsonaro", relembra.

A entrevista completa, feita pela apresentadora Luana Ibelli, está na edição desta segunda-feira (18) do Central do Brasil, que está disponível no canal do Brasil de Fato no YouTube.

E tem mais!

Embate Municipal

Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, Guilherme Boulos, deputado federal e pré-candidato à prefeitura de São Paulo, dispara: "Ricardo Nunes é um bolsonarista envergonhado".

Resoluções na China

Na China, o principal evento político do país, chamado de Duas Sessões, chegou ao fim com resoluções sobre transição econômica.

O Central do Brasil é uma produção do Brasil de Fato. O programa é exibido de segunda a sexta-feira, ao vivo, sempre às 13h, pela Rede TVTe por emissoras parceiras.

Edição: Nicolau Soares


Relacionados

  • Os servidores técnico-administrativos da UnB cobram reajuste salarial e entram em greve por prazo indeterminado

  • Os servidores da UFPB propõem um acordo para não ter seus salários cortados durante a greve

  • Os servidores das universidades federais entram em greve apesar de reconhecer os avanços do governo atual

Outras notícias

  • Como o novo programa do governo federal busca mudar a forma como os imóveis públicos são tratados

  • Pesquisador explica os riscos das notícias falsas sobre o Marajó: "isso estigmatiza essa população"

  • 'Ele usou a força em uma operação de vingança', diz Felippe Angeli sobre as mortes na operação policial na Baixada Santista

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap